Logo-text

Agricultura decisiva para “Corredor de Nacala”

Governo de Moçambique | 28 Novembro 2012
Director-geral do Gabinete das Zonas Económicas de Desenvolvimento Acelerado (GAZEDA), Danilo Nalá.

A ESTRATÉGIA de curto prazo, 2013-2017, para o desenvolvimento do “Corredor de Nacala” passa pela promoção de investimentos para o sector da agricultura de modo a garantir a coexistência de grandes plantações e a agricultura de pequena escala, através do estabelecimento de um mecanismo de mútuo apoio.

As primeiras indicações dos estudos em curso, cujo conteúdo foi apresentado e debatido ontem, em Maputo, referem que o Governo deve apoiar os pequenos agricultores de modo a que possam tirar maior proveito da melhoria do acesso aos mercados e dos meios tecnológicos, através da cooperação com o crescente investimento estrangeiro no sector.

O estudo, levado a cabo pelo Governo em parceria com a Agência Japonesa para o Desenvolvimento Internacional (JICA) refere-se ainda à necessidade da adopção de uma abordagem integrada para atrair investimento no sector agrário respondendo ao aumento da procura de vegetais frescos motivada pelos megaprojectos de pesquisa de hidrocarbonetos e exploração de carvão, em Cabo Delgado e Tete.

A consultoria chama atenção para o facto de que o desenvolvimento de Nacala não deve ser visto apenas num ângulo, devendo olhar-se para tantos outros “sectores -chave”.

É neste contexto que o documento dá importância à operacionalização do sistema de transporte de mercadorias, um dos principais empecilhos do corredor, cujas soluções começam a ser implementadas.

Para o director-geral do Gabinete das Zonas Económicas de Desenvolvimento Acelerado (GAZEDA), Danilo Nalá, o transporte de mercadorias em Nacala vai ser resolvido com três grandes projectos que estão a ser implementados na zona. Tais empreendimentos são a construção do Aeroporto Internacional de Nacala; a reabilitação de emergência do Porto de Nacala, que vai significar melhorias no manuseamento de mercadorias, bem assim a conclusão da reabilitação de estradas e forrovias.

Os estudos recomendam ainda a pertinência de assegurar o fornecimento de energia eléctrica de qualidade para Nampula e Nacala, por meio da reabilitação de linhas de subestações da Electricidade de Moçambique.

Refira-se que o projecto de “Corredor de Nacala” abrange as províncias de Nampula, Niassa, Cabo Delgado, Zambézia e Tete e visa formular estratégias apropriadas para orientar o desenvolvimento e estimular investimentos na região.

Os estudos, que decorrem há cerca de seis meses, deverão culminar com a elaboração de projectos industriais prontos para serem financiados.

De 2009 a esta parte já foram aprovados, no “Corredor de Nacala”, 1,2 bilião de dólares norte-americanos em investimento privado, para além da mobilização de outros 500 milhões de dólares de investimento público, nomeadamente para a reabilitação da barragem, sistema de água, energia, telecomunicações e outros, representando cerca de sete mil empregos.

Who's involved?

Who's involved?


Languages



Special content



Archives




Latest posts